Entulho

Distinguindo o trágico do supérfluo

Archive for setembro \27\UTC 2012

Spain Recoils as Its Hungry Forage Trash Bins for a Next Meal

Posted by iscariotes em 27 de setembro de 2012

Fonte: NY Times

MADRID — On a recent evening, a hip-looking young woman was sorting through a stack of crates outside a fruit and vegetable store here in the working-class neighborhood of Vallecas as it shut down for the night.

At first glance, she looked as if she might be a store employee. But no. The young woman was looking through the day’s trash for her next meal. Already, she had found a dozen aging potatoes she deemed edible and loaded them onto a luggage cart parked nearby.

“When you don’t have enough money,” she said, declining to give her name, “this is what there is.”

The woman, 33, said that she had once worked at the post office but that her unemployment benefits had run out and she was living now on 400 euros a month, about $520. She was squatting with some friends in a building that still had water and electricity, while collecting “a little of everything” from the garbage after stores closed and the streets were dark and quiet.

Such survival tactics are becoming increasingly commonplace here, with an unemployment rate over 50 percent among young people and more and more households having adults without jobs. So pervasive is the problem of scavenging that one Spanish city has resorted to installing locks on supermarket trash bins as a public health precaution.

A report this year by a Catholic charity, Caritas, said that it had fed nearly one million hungry Spaniards in 2010, more than twice as many as in 2007. That number rose again in 2011 by 65,000.

As Spain tries desperately to meet its budget targets, it has been forced to embark on the same path as Greece, introducing one austerity measure after another, cutting jobs, salaries, pensions and benefits, even as the economy continues to shrink.

Most recently, the government raised the value-added tax three percentage points, to 21 percent, on most goods, and two percentage points on many food items, making life just that much harder for those on the edge. Little relief is in sight as the country’s regional governments, facing their own budget crisis, are chipping away at a range of previously free services, including school lunches for low-income families.

For a growing number, the food in garbage bins helps make ends meet.

At the huge wholesale fruit and vegetable market on the outskirts of this city recently, workers bustled, loading crates onto trucks. But in virtually every bay, there were men and women furtively collecting items that had rolled into the gutter.

“It’s against the dignity of these people to have to look for food in this manner,” said Eduardo Berloso, an official in Girona, the city that padlocked its supermarket trash bins.

Mr. Berloso proposed the measure last month after hearing from social workers and seeing for himself one evening “the humiliating gesture of a mother with children looking around before digging into the bins.”

The Caritas report also found that 22 percent of Spanish households were living in poverty and that about 600,000 had no income whatsoever. All these numbers are expected to continue to get worse in the coming months.

About a third of those seeking help, the Caritas report said, had never used a food pantry or a soup kitchen before the economic crisis hit. For many of them, the need to ask for help is deeply embarrassing. In some cases, families go to food pantries in neighboring towns so their friends and acquaintances will not see them.

In Madrid recently, as a supermarket prepared to close for the day in the Entrevias district of Vallecas, a small crowd gathered, ready to pounce on the garbage bins that would shortly be brought to the curb. Most reacted angrily to the presence of journalists. In the end, few managed to get anything as the trucks whisked the garbage away within minutes.

But in the morning at the bus stop in the wholesale market, men and women of all ages waited, loaded down with the morning’s collection. Some insisted that they had bought the groceries, though food is not generally for sale to individuals there.

Others admitted to foraging through the trash. Victor Victorio, 67, an immigrant from Peru, said he came here regularly to find fruits and vegetables tossed in the garbage. Mr. Victorio, who lost his job in construction in 2008, said he lived with his daughter and contributed whatever he found — on this day, peppers, tomatoes and carrots — to the household. “This is my pension,” he said.

For the wholesalers who have businesses here, the sight of people going through the scraps is hard.

“It is not nice to see what is happening to these people,” said Manu Gallego, the manager of Canniad Fruit. “It shouldn’t be like this.”

In Girona, Mr. Berloso said his aim in locking down the bins was to keep people healthy and push them to get food at licensed pantries and soup kitchens. As the locks are installed on the bins, the town is posting civilian agents nearby with vouchers instructing people to register for social services and food aid.

He said 80 to 100 people had been regularly sorting through the bins before he took action, with a strong likelihood that many more were relying on thrown-away food to get by.

Em http://www.nytimes.com/2012/09/25/world/europe/hunger-on-the-rise-in-spain.html?pagewanted=2&_r=0

Anúncios

Posted in Mundo | Leave a Comment »

Rússia decide barrar as importações de milho da Monsanto

Posted by iscariotes em 26 de setembro de 2012

Fonte: Sul 21

Uma semana após a publicação de um controverso estudo sobre os riscos de uma variedade de milho transgênico à saúde humana, a Rússia anunciou nesta terça-feira (25), a suspensão das importações e do uso do grão desenvolvido pela Monsanto. Foi a primeira resposta prática de um país às descobertas apresentadas pela equipe do cientista francês Gilles Eric Séralini, da Universidade de Caen. O milho NK 603, cultivado em larga escala em países como os Estados Unidos e o Brasil, é geneticamente modificado para resistir ao glifosato, um agrotóxico usado para matar ervas daninhas.

O trabalho demonstrou que ratos alimentados com a variedade de milho NK 603, da Monsanto, e expostos ao herbicida glifosato apresentaram maior incidência de câncer e outras doenças graves, além de maior taxa de mortalidade. A Agência Francesa para Alimentos, Meio Ambiente, Saúde e Segurança Ocupacional (Anses, na sigla em francês) adiantou que vai apresentar suas conclusões sobre o estudo até o fim de outubro. Já a Comissão Europeia solicitou à Autoridade Europeia de Segurança Alimentar (EFSA, na sigla em inglês) que revise o estudo e espera uma posição até o fim do ano.

Para a Monsanto, o estudo “não atende as normas mínimas aceitáveis para esse tipo de pesquisa científica, as descobertas não são fundamentadas pelos dados apresentados e as conclusões não são relevantes para efeitos de avaliação de segurança”. A empresa alega ainda que toxicologistas e especialistas em saúde “veem problemas fundamentais com o formato do estudo” e que os dados apresentados “não suportam as interpretações do autor”.

Em http://sul21.com.br/jornal/2012/09/russia-decide-barrar-as-importacoes-de-milho-da-monsanto/

Posted in Ciência, Comida | Leave a Comment »

Contribuinte vai pagar IR dos senadores

Posted by iscariotes em 26 de setembro de 2012

Fonte: Blog do Senado

O Senado vai arcar com o pagamento do Imposto de Renda de Pessoa Física (IRPF) referente à ajuda de custo paga até o momento no início e no fim do ano aos senadores. A partir de agora, o pagamento de ajuda de custo implicará recolhimento do imposto e repasse pela Casa à Receita Federal. A decisão foi tomada pela Mesa do Senado em reunião na tarde desta terça-feira (25).

De acordo com o diretor da Secretaria Especial de Comunicação do Senado (Secs), Fernando César Mesquita, está sendo elaborado um projeto de resolução sobre o tema. A proposta deve ser publicada nesta quarta-feira (26) no Diário do Senado e, em seguida, deve entrar na Ordem do Dia.

No início do mês de agosto, a Receita Federal notificou senadores e ex-senadores para que recolhessem imposto de renda sobre ajudas de custo recebidas no período entre 2007 e 2011.

A ajuda de custo não foi tributada porque normas como o Decreto Legislativo 7 de 1995 definem esses recursos como de natureza indenizatória. A Receita Federal, porém, entendeu que os recursos têm caráter remuneratório, sendo necessária a aplicação do desconto de 27,5% referente ao IR. Mesmo com a efetivação do pagamento à Receita, o Senado discutirá a matéria judicialmente por entender que está respaldado em diplomas jurídicos sólidos.

Em http://www.senado.gov.br/BLOG/posts/mesa-do-senado-define-pagamento-do-ir-sobre-ajuda-de-custo-de-senadores.aspx

 

Em maio, o Senado aprovou o fim da ajuda de custo paga aos parlamentares federais no início e no fim do ano, conforme disposto no Projeto de Decreto Legislativo (PDS) 71/2011. A proposta determina que os valores sejam concedidos apenas no início e no fim de cada mandato. A matéria está em tramitação na Câmara dos Deputados.

Posted in Brasil, Política | Leave a Comment »

ONU terá royalties em parcela do pré-sal brasileiro

Posted by iscariotes em 24 de setembro de 2012

Fonte: O Globo

RIO E BRASÍLIA — Uma nova disputa pelos recursos do petróleo do pré-sal está prestes a começar. A Organização das Nações Unidas (ONU) se prepara para abocanhar uma parte da produção brasileira de petróleo, que pode chegar a 7% do que for explorado entre 200 e 350 milhas náuticas (370,8 km a 648,2 km da costa) — considerado uma extensão do mar brasileiro, já obtida no órgão. O novo tributo internacional, que funciona como royalties e será aplicado a toda atividade econômica nesta área, começa a ser discutido em outros países e já preocupa o governo.

As riquezas das águas brasileiras

O Brasil ainda não explora petróleo nesta região — chamada de Extensão da Plataforma Continental, onde o Brasil terá o controle de recursos não vivos —, mas a própria Agência Nacional de Petróleo (ANP) confirma que parte do pré-sal está nesta região, embora não entre na discussão sobre esta cobrança. Segundo a agência, a área do pré-sal nesta extensão marítima soma 542 km², ou 0,37% do total já descoberto. Entretanto, especialistas acreditam que o potencial desta área de extensão é muito maior, pois se trata da região menos pesquisada. A bacia de Pelotas, por exemplo, que ainda está sendo analisada, fica nesta região. Assim, não há estimativas dos valores que serão pagos à ONU.

Canadá discute cobrança

Segundo a advogada Andressa Torquato, especialista em energia, petróleo e gás do Silveira, Athias, Soriano de Mello, Guimarães, Pinheiro & Scaff – Advogados, este debate já está em alta no Canadá, que possui uma expansão marítima semelhante à vivida pelo Brasil. Ela explica que a solicitação da ONU se baseia em uma permissão contida no artigo 76 da Convenção de Montego Bay para que, atendidos determinados requisitos, os Estadospossam ampliar sua plataforma continental de 200 para até 350 milhas. Ela conta que isso ainda não está regulamentado, mas já gera diversas dúvidas:

— Ao tratar de uma possível extração de petróleo na plataforma estendida do Canadá, surgiram questões como quem irá arcar com o pagamento de tais royalties? Governo central, companhias petrolíferas, ou os entes subnacionais (no caso do Brasil, Estados e Municípios)? Qual seria a base de cálculo desses royalties. O valor total da produção? Caberia a dedução de algum valor? — afirma.

A advogada acredita que o tema ainda não está sendo muito debatido no Brasil pois a cobrança deve demorar para começar — esta região do pré-sal sequer foi leiloada pelo governo. O valor será crescente, começando em 1% da produção do sexto ano da atividade na região, até chegar a 7% do total, no 12º ano da exploração. Além do petróleo, esta região é rica em outros minerais, como cobalto, níquel, cobre e manganês, entre outros.

Assim como ocorre com os royalties brasileiros, os debates estão abertos na ONU. Uma nova rodada está prevista para acontecer antes deste ano, em um seminário na China. Há divergências quanto à base de onde será cobrada a taxa e para onde iria o dinheiro arrecadado dos países costeiros envolvidos: distribuição equitativa? As nações que não têm mar ficariam de fora? À frente do tema está a Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar (CNUDM), a Uncles na sigla em inglês. Estarão sujeitos ao tributo os países que conseguirem autorização para explorar recursos naturais além das 200 milhas. Isto porque, pela Uncles, tudo o que estiver de fora é considerado patrimônio da humanidade.

Depois da Rússia, o Brasil foi o segundo país a pedir a ampliação para 350 milhas, em 2004. A comissão encarregada de analisar as solicitações respondeu, em 2007, que tinhas dúvidas em relação a alguns pontos de 19% de área pleiteada. o Brasil apresentou o pedido à comissão. O governo brasileiro apresentará uma nova proposta até 2014. Segundo uma fonte do governo que trata diretamente do assunto, do total de 156 países que ratificaram a Uncles, 70 deles têm potencial para reivindicar a extensão. Essa fonte destacou que o Brasil tem a seu favor o fato de ter sido um dos primeiros a pedir.

Complexidade técnica e legal

Alexandre Szklo, professor de planejamento energético da Coppe/UFRJ, afirma que ainda não tem conhecimento desta discussão no Brasil, mas teme que o assunto acabe complicando ainda mais o setor. Hoje, lembra o professor, já são três sistemas tributários diferentes para o pré-sal: alguns campos foram concedidos, houve a cessão onerosa para a Petrobras e, nos novos campos, haverá o sistema de partilha:

A Petrobras não quis comentar o tema O Departamento Nacional de Produçção Mineral, órgão do MInistério de MInas e Energia, lembra que o governo está realizando pesquisas nas área de extensão marítima, próximas ao Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

Em http://oglobo.globo.com/economia/onu-tera-royalties-em-parcela-do-pre-sal-brasileiro-6173114

Posted in Brasil, Economia | Leave a Comment »

Nada queima por acaso nas favelas paulistanas

Posted by iscariotes em 20 de setembro de 2012

Fonte: Jus Brasil

Segundo a física, propelente ou propulsante é um material que pode ser usado para mover um objeto aplicando uma força, podendo ou não envolver uma reação química, como a combustão.

De acordo com o Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo, até o dia 3 de setembro de 2012, houve 32 incêndios em favelas do estado -cinco somente nas últimas semanas. O último, no dia 3, na Favela do Piolho (ou Sônia Ribeiro) resultou na destruição das casas de 285 famílias, somando um total de 1.140 pessoas desabrigadas por conta dos incêndios em favelas.

O evento não é novo: em quatro anos foram registradas 540 ocorrências. Entretanto, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) criada em abril deste ano para investigar os incêndios segue parada, desrespeitando todos os trabalhadores brasileiros que tiveram suas moradias engolidas pelo fogo.

Juntamente com o alto número de incêndios, segue-se a suspeita: foram coincidências?

O Município de São Paulo apresenta 1565 favelas ao longo de seu território, distribuídas, majoritariamente na região Sul, Leste e Norte. Os distritos que possuem o maior número de favelas são: Capão Redondo (5,94% ou 93), Jardim Angela (5,43% ou 85), Campo Limpo (5,05% ou 79), Grajaú (4,66% ou 73). O que significa que 21,08% de todas as favelas de São Paulo estão nessas áreas.

Somando as últimas 9 ocorrências de incêndios em favelas (São Miguel, Alba, Buraco Quente, Piolho, Paraisópolis, Vila Prudente, Humaitá, Areão e Presidente Wilson), chega-se ao fato de que elas aconteceram em regiões que concentram apenas 7,28% das favelas da cidade.

Em uma área em que se encontram 114 favelas de São Paulo, houve 9 incêndios em menos de um ano, enquanto que em uma área em que se encontram 330 favelas não houve nenhum. Algo muito peculiar deve acontecer com a minoria das favelas, pois apresentam mais incêndios que a vasta maioria. Ao menos que o clima seja mais seco nessas regiões e que os habitantes dessas comunidades tenham um espírito mais incendiário que os das outras, a coincidência simplesmente não é aceitável.

Àqueles que ainda se apegam às inconsistências do destino, vamos a mais alguns fatos.

A Favela São Miguel, que leva o nome do bairro, divide sua região com apenas outras 5 favelas, representando todas apenas 0,38% das favelas de São Paulo. Desse modo, a possível existência de um incêndio por ali, em comparação com todas as outras favelas da cidade é extremamente baixa. Porém, ao pensar somente de modo abstrato, estatístico, nos esquecemos do fator principal: a realidade. O bairro de São Miguel é vizinho do bairro Ermelino Matarazzo, o qual, de acordo com a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), teve a maior valorização imobiliária na cidade de São Paulo entre 2009 e novembro de 2011, 213,9%. Lá, o preço do metro quadrado triplicou -mas não aumentou tanto quanto a possibilidade real de um incêndio em favelas por ali.

As favelas Alba e Buraco Negro também estão na rota do mercado imobiliário. Dividindo o bairro do Jabaquara com o restante dos imóveis, a favela inviabiliza um maior investimento do mercado na região, que se valorizou em 128,40%. Mas nada como um incêndio para melhorar as oportunidades dos investidores.

Todas as 9 favelas citadas estão em regiões de valorização imobiliária: Piolho (Campo Belo, 113%), Comunidade Vila Prudente (ao lado do Sacomã, 149%) e Presidente Wilson (a única favela do Cambuci, 117%). Sem contar com Humaitá e Areião (situadas na Marginal Pinheiros) e a já conhecida Paraisópolis.

Soma-se a tudo isso, o fato de que as favelas em que não houve incêndios (que são a vasta maioria), estão situadas em regiões de desvalorização, como o Grajaú (-25,7%) e Cidade Dutra (-9%). Cai, juntamente com o preço dos terrenos, a chance de um incêndio “acidental”.

Pensar em coincidência em uma situação dessa é querer fechar os olhos para o mundo. Resta aos moradores das comunidades resistirem contra as forças do mercado imobiliário, pois quem brinca com fogo acaba por se queimar. Enquanto isso, como disse Leonardo Sakamoto, “…favelas que viram cinzas são um incenso queimando em nome do progresso e do futuro.”

(Artigo enviado por Mário Assis)

Em http://tribuna-da-imprensa.jusbrasil.com.br/politica/103520220/nada-queima-por-acaso-nas-favelas-paulistanas

Posted in Brasil | Leave a Comment »

Chanceler confirma que Portugal irá privatizar a água em 2013

Posted by iscariotes em 6 de setembro de 2012

Fonte: Opera Mundi

Em visita ao Brasil para a captação de investimentos e capital estrangeiro, o ministro de Estado e de Negócios Estrangeiros de Portugal, Paulo Portas, confirmou nesta quarta-feira (05/09) que a privatização da água do país é uma certeza e acontecerá no primeiro de semestre de 2013, por meio de licitação A empresa estatal Águas de Portugal (AdP) é responsável pelo setor da água no país.

Em entrevista ao Opera Mundi na Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), ele negou que a medida implicará no surgimento de mais gastos, conforme alertaram setores da oposição portuguesa e movimentos sociais. “Não está envolvido nenhum imposto. O que irá ocorrer é a privatização dos jazigos de água e da distribuição”, afirmou. O chanceler destacou que o governo do premiê Passos Coelho usará o modelo de concessão para a privatização. “A concorrência internacional está aberta a qualquer empresa. A melhor leva”, disse.

Em http://operamundi.uol.com.br/conteudo/noticias/24135/chanceler+confirma+que+portugal+ira+privatizar+a+agua+em+2013.shtml

Posted in Comida, Mundo | Leave a Comment »

Brazil is world’s largest crack market: study

Posted by iscariotes em 6 de setembro de 2012

Fonte: AFP

SAO PAULO (AFP) – Brazil is the world’s largest market for crack and the second for overall cocaine use, researchers from the Federal University of Sao Paulo (UNIFESP) said Wednesday.

A survey by UNIFESP’s National Institute of Science and Technology for Public Policy on Alcohol and Other Drugs found that four percent of Brazil’s adult population — nearly six million people — have experimented with cocaine or its derivatives in their lives.

Among adolescents, the percentage reached three percent or 442,000 youths.

Over the past year, 2.6 million adults and 244,000 adolescents said they used the drugs.

Ronaldo Laranjeira, who coordinated the study, said the South American powerhouse was now the world’s biggest consumer of crack.

“No other country has one million crack users currently,” the website G1 quoted Laranjeira as saying.

The study said Brazil, where rising prosperity has expanded the middle class, trails only the United States in terms of total use of cocaine and derivatives, with 20 percent of global consumption.

Brazil, the sixth largest economy, has 2.8 million consumers, trailing the United States with 4.1 million, while the rest of South America has 2.4 million, according to the study.

The study said roughly two million Brazilians — 1.4 percent of adult and one percent of youths — have used crack, merla (crack and marijuana mixed as cigarettes) or oxi — a highly addictive hallucinogenic twice as powerful and one fifth cheaper than crack — at least once in their lives.

One in 100 adults was found to have used crack in the past year.

The study said Brazil, until recently a transit point for cocaine bound for Europe, was now a consumer of the drug.

Up to 60 percent of the cocaine produced in Bolivia is destined for Brazil.

The study covered a representative sample of the 194-million-strong Brazilian population — 4,600 people aged 14 and over — in 149 cities across the country.

Em http://nz.news.yahoo.com/a/-/world/14770593/brazil-is-worlds-largest-crack-market-study/

Posted in Brasil | Leave a Comment »

Documento do Exército revela nome de delatores no meio artístico

Posted by iscariotes em 5 de setembro de 2012

Fonte: Documentos revelados

Acervo Arquivo Nacional – COREG

Durante a ditadura militar, todas as publicações e obras – livros, programas de tv e rádio, eram obrigadas a verificação de um grupo de censores. Os critérios eram subjetivos e iam desde os aspectos ideológicos e políticos, até os relacionados a costume. Os censores indicavam os trechos, e muitos casos, a obra toda que não poderia ser divulgada.

Nesse contexto alguns artistas com o intuito de  estar bem com regime viraram delatores, passando informações sobre o que acontecia no meio, chegando ao ponto de caluniar colegas e serem moleques  de recado dos agentes da ditadura.

No documento em anexo emitido pelo Centro de Informações do Exército são revelados alguns desses dedo-duros, considerados como amigos, aliados do regime. Segundo o informe  certos órgãos de imprensa estariam publicando matérias denegrindo a imagem de “determinados artistas que se uniram à revolução (sic) de 1964 no combate à subversão e outros que estiveram sempre dispostos a uma efetiva COLABORAÇÃO com o governo”.Entre   outros são citados Wilson Simonal, Roberto Carlos,Agnaldo Thimóteo,Clara Nunes, Wanderleiy Cardoso e Rosimary.

Clique nos links abaixo para ler os documentos, que também podem ser visualizados em imagens na extensão JPG

http://pt.scribd.com/doc/104622606 

http://pt.scribd.com/doc/104622608

Em http://www.documentosrevelados.com.br/repressao/forcas-armadas/documento-do-exercito-revela-nome-de-delatores-no-meio-artistico/

Posted in Brasil, História | Leave a Comment »

Assange: “Google lo recuerda, te conoce incluso mejor que tu mamá”

Posted by iscariotes em 4 de setembro de 2012

Fonte: Telesur

JG – ¿Cuál es el impacto que los movimientos y las redes sociales tienen en este momento en que vivimos?

JA – Si hay redes y movimientos sociales, entonces hay un rival.Existe la posibilidad de conectarse a los deseos y pensamientos de todos, por ejemplo, cuando haces una búsqueda en Google, el sitio la registra permanentemente. Porque Google trabaja desde Estados Unidos, Google te conoce mejor de lo que te conoces a ti mismo, recuerda lo que estuviste buscando hace dos días, hace tres horas, Google lo recuerda, te conoce incluso mejor que tu mamá.

JG – ¿ A dónde va esta información?

JA – Esa información es almacenada por Google, pero también es interceptada por la Agencia Nacional de Seguridad (NSA, por sus siglas en inglés) de Estados Unidos. La gente en Latinoamérica podría no darse cuenta de ésto, pero la posición geográfica de Estados Unidos es tal que le ha dado un gran poder a sus agencias de inteligencia, comunicaciones fluidas hacia Europa, hacia Asia.

La información de Latinoamérica atraviesa Estados Unidos, es interceptada por la NSA y luego viene el juego de la interceptación, decir: ¡Ha! Es un individuo interesante, yo a esta hora vi que abrió un correo aquí, creó un portal, trató de llamar a su mamá en Madrid. Es el juego nuevo es la interceptación, registran todo, es más barato registrar todo, desde América Latina a Estados Unidos, y almacenarlo durante un par de años.

Te vuelves interesante para Estados Unidos y sus amigos, regularmente dicen: revisemos qué estaba haciendo Assange hace unos años, revisemos quiénes son sus amigos, con quién se está comunicando.

Esto no es especulación, existen compañías por todo el mundo que venden equipos para hacer esto, y tienen las guías de mercadeo para las agencias de inteligencia. Aquí es donde esto es aplicable, éste es el costo, puedes interceptar todo, no tienes que preocuparte en determinar qué persona es interesante, simplemente intercepta todo y almacena todo. Esta denuncias la publicamos nosotros a principio de año, se trata del llamado el Spy File

JG – ¿Nosotros, WikiLeak?

JA – WikiLeaks publicó 170 compañías que proveen al sector de inteligencia equipos operativos para espiar en lote a la población integral, interceptar el flujo de comunicación que atraviesa un país entero, todas las llamadas telefónicas salientes, almacenándolas permanentemente.

No te molestes en borrar, ese es el aspecto oscuro del Internet, conforme hemos pasado nuestras vidas privadas a internet, nuestras vidas, las privadas, nuestros cronogramas, nuestros correos electrónicos, todas esas cosas que hubieran sido mantenidas alguna vez en casa, que habríamos hecho cara a cara; le hemos dado todo a las agencias de inteligencia, cada cosa.

Algunos países están en mayor capacidad de interceptar, tienen mejores habilidades y tienen una historial haciéndolo, debido a que su posición geográfica les permite hacerlo. Por otro lado, tenemos también la habilidad de establecer con mayor rapidez alianzas, hacer planes mutuos, situaciones sociales que emergen con tal rapidez, incluso si estás interceptando todo, incluso si conoces quién es cada individuo. Esa situación se vuelve tan rápida que cuando la sigues se enreda, se desdibuja.

Aunque activistas están mejorando, comenzando a automatizar la tecnología, la gente que trabaja en inteligencia en Alemania, incluso hace dos años vendía sistemas que reflejaban la ubicación de la gente, con tan solo la utilización de un celular que rastreaba la ubicación de otros celulares cuando estos últimos son utilizados.

Ellos tienen las patentes, los militares estadounidenses están perpetrando ataques en Yemen y Obama los autoriza con un programa llamado “Designature Strike” (Blanco Selectivo), que asigna un avión no tripulado para vigilar a alguien particular. Estadísticamente se registra que fueron allí, vinieron aquí y ellos deben ser asesinados porque estadísticamente podrían ser un peligro de acuerdo con su interpretación. Entonces eso es realmente muy oscuro y deseo buscar la manera de cómo detener esta avalancha de totalitarismo transnacional.

JG – ¿Pero eso no debería estar allí?

JA – Pero allí está, porque cuando existe una vigilancia total, hay que hablar de totalitarismo, porque todos están bajo el mismo lente. ¿Cómo podemos detener este avance? Si miramos la legislación que está aprobando Estados Unidos, si miramos los ataques que recibimos, el involucramiento de todos los bancos que tratan de atacarnos fuera de la ley. ¿Hacia donde apunta todo esto?.

Ha habido personas detenidas en el Reino Unido durante ocho años, he estado detenido durante 600 días sin cargos, pero hay personas en prisión durante ocho años sin cargos, muchos con casos más severos que el mío. Entonces, hacia dónde apunta todo esto, sólo mire la trayectoria, al menos en Occidente, así como en otros países, va muy fuerte, hacia un Estado trasnacional centralizado.

No tiene que ver sólo con Estados Unidos y Reino Unido, no. Debido a la manera cómo fluye el equipo, los enlaces de todos los aparatos de inteligencia, los aparatos militares, los enlaces sociales de varios países; nos dimso cuenta que es un fenómeno transnacional, un fenómeno occidental, no tiene que ver con Estados Unidos únicamente, es más grande y se desplaza hacia un lugar muy oscuro. De modo que podemos prevenir eso, los bloques de poder regional alternativos.

De modo que América Latina al reunirse, al intentar combatir ese tipo de entornos, quizá los latinoamericanos, sus enlaces con Europa y esos grandes lazos de comunicación con Asia, pueden comenzar a encriptar la información conforme pasa a Washington. Quiero decir que aunque es solo el inicio, el sólo hacerlo, reduce el impacto del espionaje masivo en América Latina.

Bien, entonces saben qué es lo que estamos haciendo, pero eso no significa que puedan detenerlo porque la hermandad de Latinoamérica es suficientemente fuerte para resistir eso. Como individuos es difícil resistirse al presentarse ese tipo de cosas, pero tienes que ser un criptógrafo o un experto en seguridad, porque es realmente difícil.

JG – ¿Entonces es algo casi perverso si uno lo acepta, porque la línea oficial es que promovemos, que vivimos en Estados democráticos? ¿Estamos hablando de algunos países occidentales cuando la realidad es completamente opuesta?

JA – Es completamente perverso, un deterioro de curso acelerado, el imperio de occidente. Lo vimos en la Bahía de Guantánamo y ahora tenemos un caso en el que trabajo, el caso de Omar Catar. Se trata de un joven de 15 años de edad detenido en Afganistán, mantenido en Guantánamo desde hace 10 años. Ha pasado de ser un muchacho a ser un hombre, y la única vida que conoce hasta ahora es Guantánamo.

Son 80 personas allí las que esperan su liberación, incluso Washington ha dicho muchos nunca fueron terroristas. Bueno, él todavía está allí, la más engañosa ofensa contra el imperio de la ley, de forma deliberada e intencional: ordenar el asesinato de sus propios ciudadanos, como si fuera cualquier proceso donde no hay posibilidad de revisión.

Uno de mis abogados intentó llevar el caso de un ataque con un avión no tripulado a Odaki, un sacerdote en Yemen, un americano que fue a Yemen para volverse un Imán. El ataque se perpetró porque las leyes estadounidenses señalan que se trata de un apoyo material al terrorismo. Entablamos la demanda legal para prevenir que alguien más fuera asesinado por ese mismo motivo.

Pero ellos (EE.UU.) introdujeron una ley de autorización de Defensa Nacional, la cual determina que sospechosos pueden ser detenidos en ultramar y llevarlos a prisión, sin cargos, en Guantánamo. Ellos hacen eso con sus propios ciudadanos, los militares los llevan prisioneros sin cargos, los derechos de las personas están totalmente deteriorados.

En realidad les contaré una situación muy irónica: la NSA práctica el espionaje no solamente en el tráfico de información que fluye en Latinoamérica a través de EE.UU. sino también dentro de la nación norteamericana.

Estados Unidos desarrolla un espionaje masivo y eso ha sido descubierto, se removió el velo a algunas máquinas en San Francisco, hubo algunos informantes que aparecieron como Mcklain de &TT. Estas personas presentaron una demanda ante la nación por haber sido “espiados ilegalmente”.

Todos ellos quisieron demandar al Gobierno, demandar a estas compañías de telecomunicaciones. Pero la decisión del juez fue que ellos no tiene méritos, no deberían ser reconocidos como personas que no están en capacidad de de demandar. ¿Por qué? Pues, porque el argumento es que esto se repetiría en el resto del mundo,por lo tanto no hay caso. Así que, si quieres salir a robar a alguien, si quieres asesinar a alguien, sólo hazlo y quizás tampoco habrá caso.

Fonte: http://www.telesurtv.net/articulos/2012/08/31/julian-assange-ee.uu.-busca-parar-las-actividades-actuales-de-wikileaks-692.html

Posted in Mundo | Leave a Comment »