Entulho

Distinguindo o trágico do supérfluo

1815 – Nathan Rothschild dá ‘Golpe da Bolsa de Londres’

Posted by iscariotes em 20 de junho de 2011

Fonte: Opera Mundi

20/06/2011 – 08:00 | Max Altman | São Paulo

Nathan Rothschild

Nathan Rothschild, membro da poderosíssima família de banqueiros, monta em 20 de junho de 1815 aquele que se tornou conhecido como o “Golpe da Bolsa de Londres”. A operação lhe permitiu apoderar-se do mercado de capitais e mesmo do Bank of England, nas vésperas da conclusão da batalha de Waterloo, que opôs o general britânico Duque de Wellington a Napoleão Bonaparte.

Rothschild, valendo-se de informações privilegiadas enviadas por seu espião em Waterloo, soube antes de todos – antes mesmo do próprio Wellington – que a Inglaterra havia vencido aquela batalha. A bolsa de Londres estava numa expectativa terrível, aguardado o resultado da batalha. Se a França ganhasse, os papéis despencariam abruptamente. Se a Inglaterra vencesse subiriam à estratosfera.

Rothschild, no entanto, deu instruções a seus agentes para divulgar que a batalha tinha sido perdida. Correu para a bolsa com um ar triste e abatido. Todos o seguiam com o olhar. Subitamente, ele começou a vender. A interpretação só poderia ser uma: Napoleão ganhara.  Em poucos minutos, todos vendiam freneticamente. Os preços caíram em flecha.

Entrementes, agentes dissimulados de Rothschild começaram a comprar os títulos por uma fração mínima do seu valor real. Em questão de horas, Nathan Rothschild passou a dominar a Bolsa de Londres e, como se veio a saber, o próprio Banco da Inglaterra.
 
O banqueiro gabou-se mais tarde mais tarde de ter, nos 17 anos que passou na Inglaterra, multiplicado as 20 mil libras que recebera do pai por 2500 vezes. Os Rothschild tornaram-se incrivelmente ricos. Em meados do século 19 dominavam o sistema bancário europeu e constituíam de longe a família mais abastada do mundo.

Rothschild teve cinco filhos. Treinou todos eles nos meandros das finanças e enviou cada um para lugar estratégico distinto, a fim de abrir filiais do negócio bancário da família.

O seu primogênito, Ancho Mayer, ficou em Frankfurt, para suceder ao pai. O segundo filho, Solomon, foi enviado a Viena. O terceiro, Nathan, claramente o mais esperto, foi mandado para Londres. O quarto filho, Carl, foi para Nápoles, e o quinto, Jacob, para Paris.
 
Os Rothschild passaram a manter estreito relacionamento com o príncipe Guilherme de Áustria, o nobre mais rico da Europa. Quando Napoleão o forçou ao exílio, entregou 550 mil libras, uma soma vultosa, a Nathan Rothschild em Londres com instruções de comprar títulos do Tesouro inglês.
 
Com Napoleão pondo e dispondo na Europa, as oportunidades de negócios em tempo de guerra eram enormes. Guilherme regressou à Áustria pouco antes da Batalha de Waterloo. Convocou Rothschild e exigiu seu dinheiro de volta. Os Rothschild devolveram o montante, acrescido dos juros que teriam rendido se empregasse em títulos do Tesouro. Contudo, ficaram com o extraordinário ágio que auferiram com o uso do dinheiro do príncipe.
 
Por volta de 1850, James Rothschild, o herdeiro do ramo francês da família, tinha um ativo de 600 milhões de francos franceses, 150 milhões mais que todos os outros banqueiros franceses somados.

Calculava-se que no final do século, a família Rothschild controlava metade da riqueza do mundo. Depois, paulatinamente, sobreveio a decadência.

Em http://operamundi.uol.com.br/conteudo/noticia/HOJE+NA+HISTORIA+1815++NATHAN+ROTHSCHILD+DA+GOLPE+DA+BOLSA+DE+LONDRES_12863.shtml

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: